Tempo médio gasto no Facebook em smartphones nos EUA é de 441 minutos

Tempo médio gasto no Facebook em smartphones nos EUA é de 441 minutos

MAIS:_Facebook oferece aplicativo de localização

Pela primeira vez, o número de usuários que acessam o Facebook em smartphones nos Estados Unidos é maior do que em computadores de mesa. A confirmação veio de um estudo do comportamento sobre telefonia móvel divulgado pela empresa comScore nesta terça-feira (8).

Os números revelaram que o tempo médio gasto no Facebook em smartphones naquele país em março foi de 441 minutos, ou 7 horas e 21 minutos, contra 391 minutos, ou 6 horas e 31 minutos, relativos a pessoas que acessaram a rede social por meio de um computador.

O relatório da comScore também mostrou que os usuários norte-americanos de smartphones passam mais tempo no Facebook do que em qualquer outra rede social, incluindo Twitter e LinkedIn. Na realidade, a audiência móvel do Facebook só não é maior que a do Google.

Os sites reunidos da gigante das buscas atraem 93 milhões dos 97 milhões de americanos que acessam a internet pelos smartphones. A rede social de Zuckerberg aparece em segundo, com 78 milhões, seguida pelo Yahoo! (66 milhões), Amazon (44 milhões) e Wikimedia (39 milhões).

Mas embora o número de usuários em smartphones seja expressivo, o Facebook revelou, por meio de documentos registrados por conta de sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês), que o acesso ao site pelo celular ainda não é uma fonte de receita significativa.

“Se os usuários acessarem cada vez mais produtos móveis como substituto do acesso através de computadores pessoais, e se formos incapazes de implementar de maneira bem-sucedida estratégias de monetização para aqueles usuários, nossa performance financeira e habilidade de gerar receita será negativamente afetada", escreveu a companhia nos documentos do IPO.

A estratégia mais recente do Facebook para dispositivos móveis foi a compra do Instagram por US$1 bilhão em abril. Os resultados ainda são parciais, mas a aquisição do aplicativo de compartilhamento de fotos mostra que a rede social está apostando alto na internet móvel.

Fonte: Reuters, comScore