Para que serve um Smartphone?

Um smartphone é basicamente um minicomputador projetado para realizar as funções de um telefone celular, aproveitando, ao mesmo tempo, as possibilidades oferecidas pela internet, entre outras características.

De forma geral, com um smartphone é possível fazer quase as mesmas coisas que um computador faz, desde que tenha aplicativos instalados para reproduzir música e vídeos, editar documentos de trabalho, rodar jogos, etc.

Mas, além disso, os celulares inteligentes têm características diferentes de um PC ou notebook, como o uso de acelerômetros. Esses sensores, que detectam os movimentos do aparelho, são muito utilizados por jogos de corridas e permitem dar comandos ao virar o telefone.

Outro possível uso é garantido pela função GPS (ou Sistema de Posicionamento Global), que permite explorar mapas para saber onde estamos ou como chegamos a qualquer outro lugar da cidade. A informação sobre nossa posição geográfica pode servir também para ver o céu, fazendo com que nosso smartphone funcione como se fosse um telescópio, graças a aplicativos de exploração astronômica.

Os smartphones possuem ainda câmera de alta qualidade (de 5MP em diante), para tirar fotos e gravar vídeos. Alguns aparelhos gravam vídeo em alta definição, enquanto outros têm uma câmera frontal para fazer videoconferências, deixando que a pessoa com quem estamos falando nos veja. As câmeras também podem ser usadas para ler códigos de barras ou os atuais “QR”. Estes últimos são códigos de formato quadrado que podem servir para vários usos: visitar links, baixar aplicativos, fazer compras em supermercados e lojas virtuais, etc.

Mas, quem pode se beneficiar dos smartphones? Praticamente, qualquer um pode aproveitar esses equipamentos e tirar máximo proveito deles. Vejamos alguns exemplos:

-        Executivos. Os smartphones inicialmente foram feitos para os executivos, já que esses aparelhos permitem estar o tempo todo conectado aos emails do trabalho. Com passar do tempo foram também ganhando outras funcionalidades atraentes para esse público, como a possibilidade de ver e editar documentos de Word e Excel, por exemplo. E aqueles que viajam com frequência podem contar ainda com alguns apps específicos, como conversores de moedas e tradutores.

-        Jovens. Devido ao grande interesse e uso de internet, os adolescentes e jovens também podem fazer muito com um celular inteligente. Redes sociais, email e programas de mensagem instantânea podem ser usados de forma rápida e simples em um smartphone. A existência de “Zonas Wi-Fi” em bares, universidades, escolas e outros estabelecimentos garante conexão quase permanente e gratuita. Os estudantes podem ainda aproveitar os apps para ler livros eletrônicos e outros conteúdos didáticos.

-        Terceira idade. Este grupo pode ser um dos mais beneficiados, uma vez que os celulares oferecem uma interface mais familiar do que os computadores. Portanto, pode ser a porta de entrada ao mundo virtual da internet. Quem possui algum problema de saúde também pode contar com apps para controlar a pressão arterial, seguir uma dieta saudável, marcar os quilômetros de uma caminhada, obter conselhos, etc.

-        Público em geral. Os smartphones trouxeram consigo o conceito de aplicativos para aumentar suas funcionalidades e se transformar em dispositivos “sob medida” para as necessidades de cada usuário. Podem ser usados pelas donas de casa para guardar suas receitas e anotar as próprias invenções; os profissionais de qualquer ramo criativo podem escrever anotações para não deixar que as ideias se percam; os viajantes podem usar a função de GPS para encontrar os caminhos em qualquer lugar, etc.

Os smartphones chegaram para ficar e são a opção natural de quem quer atualizar seu aparelho celular. E o melhor de tudo é que com os apps podemos ter um celular com novas funcionalidades a cada dia. Só depende da imaginação dos desenvolvedores de nossas próprias necessidades.